terça-feira, 23 de novembro de 2010

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

O Futuro


Ultimamente, ando pensando muito sobre o futuro. O que é estranho, porque eu sempre fui o tipo de garota que sempre pensava no presente.
Muitas pessoas tem medo do futuro. Eu digo isso com toda a sinceridade do mundo: eu não tenho medo do futuro. Mas não me importaria se o tempo pudesse passar um pouco mais devagar.
Você cresce, passa por dores, sofrimentos, alegrias, decepções, e felicidade. Você passa por cada tipo de sentimento que nem imaginava serem possiveis. Você se depara com várias decisões que tem que tomar, e ao mesmo tempo que quer ser adulta, pra ser independente, e ser livre, você também quer ser a garotinha do papai e da mamãe.
A garotinha que podia chorar quando quisesse, a garotinha que tinha tudo o que queria, a garotinha que tinha uma vida muito fácil, a garotinha que você era antes.
Mas o tempo não para de passar só porque você está passando por uma situação difícil, ou a melhor situação de sua vida. Isso foi algo que aprendi. Porque a vida não tem pena de você. Então pode parar de fazer dramas, porque você pde enganar quem você quiser pr um tempo, mas a vida sempre vai te desmascarar.
Mas voltando ao assunto do futuro: querendo ou não, ele sempre chega. Sendo você estando ansiosa ou com medo para esse momento, o futuro sempre chega. E você só tem que se acostumar com isso.
Mas e o seu passado, como fica? Você decide. Não tem essa de que se você vai pra uma escola nova, seus amigos do seu passado vão ter que ficar pra trás, essa é uma decisão inteiramente sua. Pode ser difícil manter contato com eles, mas se esse for o desejo seu e de seus amigos, vocês vão conseguir.
Nada é impossivel. E não é o futuro que vai tornar isso menos possivel.
Não sinta medo do futuro, ele é apenas mais uma etapa de sua vida que você tem que passar. Pode ser tanto a pior, quanto a melhor. Somente deixe as coisas acontecerem para você descobrir.

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

Decisões


A vida está cheia delas. Desde as mais simples, como o que você vai almoçar, com que roupa vai á festa, ou que livro ler. Até a mais complicadas.
A questão está em você. Até certo ponto da vida, seus pais fazem a sua vida por você, e as coisas são muito simples, não é mesmo? Mas chega o momento em que os pais param de se interferir, para deixar você crescer. E então, a coisa já fica mais complicada.
Você sente saudade de poder dormir abraçada com o seu ursinho de pelúcia, sem se preocupar, sente falta de não ter obrigações, e isso é normal. Você não é a unica a se sentir assim.
Até hoje, ainda tenho meu ursinho de pelúcia. Não tive coragem de jogá-lo fora, seu nome é Ted. Toda vez que estou com algum problema, preciso tomar alguma decisão difícil, ou estou sobrecarregada demais, o abraço bem apertada, e me debulho em lagrimas.
Porque, ás vezes para se tomar alguma decisão, é preciso voltar ao passado. Por isso, eu ainda tenho meus momentos garotinha, todo mundo tem. Em que eu abraço o Ted, lembro-me de como eu era antes, e de como eu sou agora, e, na maioria das vezes, depois disso, paro de chorar, ainda abraçada em Ted reflito, e tomo uma decisão.
Nem sempre as minhas decisões estão certas, algumas vezes erro, afinal, sou humana, assim como você, e humanos também erram. Por isso, é natural você tomar uma decisão errada e se arrepender, isso vai te ensinar a pensar melhor no futuro.
Por isso, decisões são tão difíceis, mas não tenha medo de errar. Seus pais, pelos sermões, aparentam ser tão perfeitos, parece que nunca erraram, mas eles só sabem dar esses sermões, por causa dos tombos de levaram, e o que tiraram como conclusão deles. O ruim, é que ás vezes eles esquecem disso, esquecem que você, assim como eles, está caindo, e aprendendo a viver com isso.
Mas antes de tomar uma decisão importante, pense, reflita, e só então decida.

domingo, 14 de novembro de 2010

A verdade...


Olá leitores,

eu sou Mari. E quero falar sobre a verdade.

Algo complicado, a verdade... pode ser uma chave, aquela que te dá a resposta de todas as suas duvidas. Mas será que você realmente quer saber disso?
A verdade ás vezes machuca, talvez seja por esse motivo que muitas pessoas fogem dela, resolvendo viver e acreditar na mentira. Sim, a mentira pode ser mais fácil, mas a pessoa que escolhe viver dela, e se acha feliz por isso, tem uma vida artificial, uma vida de fantasia, uma vida que não é real.
Mas pra que se esconder da verdade? Tá certo, na maioria das vezes pode não ser uma coisa fácil, mas pelo menos você tem uma vida real.
Ás vezes a verdade pode causar tanto impacto como um tapa na cara, ou como um tombo. Mas não é de tombos que nós amadurecemos? Por mais dolorosas que sejam nossas quedas, são necessárias, para que possamos crescer. Quer um exemplo?
Lá vai: você tem uma amiga desde o jardim de infância, ela é sua melhor amiga. Então vocês crescem, e ela acaba te traindo. Pra que esse tombo vai servir? Para você escolher melhor os seus amigos, para você aprender em não confiar em todo mundo. Você vai se tornar mais madura.
Mas aí entra também a duvida: devo acreditar na verdade ou na mentira? Devo acreditar que ela me traiu, ou simplesmente fingir que isso não aconteceu? Aí, é uma escolha sua. Você pode acreditar na verdade, seguir em frente, e fazer novos amigos, quem sabe, ser até mais feliz que antes, ou, continuar sendo amiga dela, fingindo que nada aconteceu, e, sendo apunhalada pelas costas, e sendo decepcionada ainda mais... ficando cada vez mais infeliz, mas pelo menos, você ainda vai ser amiga dela, não é mesmo? Mas e ela, vai continuar sendo a sua amiga?
Pense bem. A verdade, por mais dura que seja, é o melhor caminho, a mentira, te dá uma vida irreal, e por mais que uma pessoa viva nela, uma hora ou outra, a verdade insiste em interrompê-la, e então, a pessoa não terá mais saida.
Mas, a escolha é sua afinal. A unica coisa que eu posso fazer, é desejar que você faça uma escolha certa.
Bjs,
Mari.